Garimpeiro está perdido na mata há 28 dias após naufrágio em Apuí, no AM

14/04/2012 23:18

Ele e outro amigo navegavam em uma canoa pelo rio Abacaxi.
Os 2 sobreviveram a acidente, mas um deles desisitiu de caminhar na mata.

 

Marivaldo Silva

 
Comente agora
O amigo foi encontrado e hospitalizado (Foto: Reprodução/TVAM)
O amigo foi encontrado e hospitalizado
(Foto: Reprodução/TVAM)

Um garimpeiro de 45 anos está perdido na floresta amazônica há 28 dias, nas proximidades do município de Apuí, a 453 Km de Manaus. Segundo informações da imprensa local, ele e outro garimpeiro, de 70 anos, naufragaram no rio Abacaxi quando seguiam de canoa para um garimpo próximo a divisa com o Pará. Eles sobreviveram, mas perderam mantimentos e roupas.

O garimpeiro mais novo sentiu-se mal após vários dias de caminhada dentro da floresta, em busca de socorro. O amigo dele conseguiu ajuda, porém, não encontrou a trilha que chegava até o local onde o garimpeiro ficou à espera para ser resgatado.

O Exército Brasileiro já foi acionado. Uma equipe está sendo viabilizada para dar apoio às buscas, que estão sendo feitas por familiares e moradores da Comunidade Sucundurí, onde os dois garimpeiros moravam. As informações são da assessoria de imprensa do Comando Militar da Amazônia (CMA), em Manaus.

 

As polícias Militar e Civil e o Corpo de Bombeiros ainda não estão acompanhando o caso, por isso, as notícias vêm da imprensa local. O correspondente da TV Amazonas em Apuí, o repórter Ivanir Valentim, conversou com o garimpeiro de 70 anos. O mesmo contou que deixou a Comunidade Sucundurí, distante cerca de 130 Km da área urbana de Apuí, no início do mês de março. Ele e o amigo saíram em busca de áreas verdes a serem garimpadas.

Eles navegavam pelo rio Abacaxi em uma canoa equipada com motor de rabeta, que caiu numa corredeira. A embarcação ficou destruída, mas a dupla conseguiu chegar à margem e sobreviveu. "Havia cerca de R$ 2 mil em alimentos e roupas, para passarem vários dias na mata. Tudo foi perdido, inclusive sapatos, que eram importantes para a caminhada na mata", disse o repórter, com base no relato do agricultor.

De acordo com o repórter, os dois garimpeiros seguiram vários dias pela floresta. O mais novo sentiu-se mal e não conseguiu mais caminhar, por causa dos espinhos nos pés. O parceiro seguiu em frente e conseguiu chegar à rodovia Transamazônica, onde recebeu ajuda de uma família de agricultores. O homem foi levado de volta à Comunidade Sucundurí, onde foi hospitalizado, com quadro de desidratação.

"Assim que foi medicado, o agricultor voltou à mata para resgatar o amigo, mas não conseguiu encontrar a trilha que levava até o ponto de encontro", afirmou Ivanir. Segundo ele, um grupo de mateiros está na floresta em busca do agricultor desaparecido, mas ainda não voltou com notícias positivas.