Prefeitura implanta cadastro online de Programa Habitacional, Minha casa minha vida em Manaus

07/06/2012 12:31

Sehaf informou que interessados só poderão se cadastrar pela internet. Esquema de orientação foi montado para auxiliar candidatos.

 

Por Marivaldo Silva / Folhaamazonica.com

 
Comente agora

Os interessados em se cadastrar no programa de habitação do Governo Federal, “Minha Casa, Minha Vida”, passaram a contar em Manaus com uma nova ferramenta de credenciamento no processo de aquisição dos imóveis: nesta semana, a Prefeitura de Manaus disponibilizou o formulário de inscrição online.

De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Sehaf), agora a solicitação ocorre, exclusivamente, através do seguinte endereço eletrônico: http://sehaf.manaus.am.gov.br.

Para a analista jurídica, Isabela Santos, que utilizou o formulário eletrônico, a nova ferramenta de cadastramento do programa “Minha Casa, Minha Vida” na internet concedeu mais comodidade às pessoas interessadas. “É mais prático do que estar preenchendo formulários impressos. É mais cômodo para tanta gente que não teria tempo para ir a um posto da Prefeitura de Manaus”, revelou a analista.

Porém, Isabela admite estar temerosa em conceder informações pessoais via Internet. “Assim como qualquer cadastro na internet existe o risco de conceder dados pessoais e de documentação na internet. Além disso, as pessoas que não tem domínio de informática terão dificuldade para realizar o cadastro”, enfatiza.

ACESSO GRATUITO

Com objetivo de facilitar o acesso da população ao cadastro virtual, a Sehaf firmou parceria com 32 lan houses no município. Os postos credenciados estão localizados em diversos bairros da capital. As Lan Houses conveniadas e aptas a realizar o cadastro de forma gratuita, nos horários das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Segundo a Secretaria de Habitação e Assuntos Fundiários, em cada ponto os interessados com dificuldade de lidar com as tecnologias digitais terão auxílio de estagiários do programa Bolsa-Universidade.

 

Conforme o secretário Valtair Cruz, qualquer pessoa pode promover seu cadastro, que, posteriormente será avaliado pelos técnicos da Prefeitura. “Qualquer um pode se habilitar a ser um provável beneficiado porque depois ele terá seu perfil analisado para ver se está compatível com os imóveis que serão oferecidos. Vale lembrar que esse tipo de cadastro on line é um serviço inédito em Manaus, uma ferramenta que vai facilitar tanto o acesso da população como o trabalho de planejamento habitacional da administração municipal”, destacou.

A Sehaf explica que para adquirir a casa própria, as pessoas terão que integrar o grupo prioritário do Programa, que são as famílias com renda até dois salários mínimos.

Prazo de financiamento de imóvel na Caixa vai a 35 anos

BRASÍLIA, 5 Jun (Reuters) - A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira novas condições para financiamento imobiliário, alargando prazos e diminuindo taxas, em meio aos esforços do governo para reduzir os juros bancários e estimular a cambaleante economia.

 

O banco estatal elevou, de 30 para 35 anos, o prazo máximo dos empréstimos para compra da casa própria lastreados em recursos da caderneta de poupança e alienação fiduciária.

 

Para imóveis financiados pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), as taxas caem de 9 para 8,85 por cento ao ano (mais TR) para todos os clientes. A taxa pode chegar a 7,8 por cento em função do grau de relacionamento com o banco.

 

Fora do SFH, a taxa cai de 10 para 9,9 por cento (mais TR) para todos os clientes, podendo chegar a 8,9 por cento (mais TR) em determinadas condições.

 

As medidas anunciadas pelo vice-presidente de governo e habitação da Caixa, José Urbano Duarte, valem a partir da próxima segunda-feira (11), mas não englobam imóveis financiados dentro do programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal.

Definidos critérios locais de acesso a programa federal de habitação, no AM

Programa 'Minha Casa Minha Vida' possui critérios nacionais e locais.
Famílias chefiadas por mulheres também poderão aderir a financiamento.

 

Por Marivaldo Silva / Folhaamazonica.com

 
Comente agora
Famílias residentes em áreas de risco podem ter direito de financiar um imóvel pelo programa federal (Foto: Divulgação/Suhab)
Famílias devem atentar para critérios locais e nacionais de acesso ao programa
(Foto: Divulgação/Suhab)

O Amazonas definiu os critérios locais de acesso ao programa Nacional de Habitação Minha Casa Minha Vida. O programa determina que cada estado desenvolva seus critérios para completar os já definidos na criação do projeto. 

Para acesso ao financiamento de um imóvel pelo programa federal, as famílias já inscritas na Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) deverão atentar para alguns dos seguintes critérios: famílias com filhos com residência fixa em Manaus há, no mínimo, três anos; famílias que residem na condição de cedidos ou alugados, que não foram contempladas com programas habitacionais de esfera federal, estadual, municipal bem como assentamentos; e famílias com membros que possuam doenças crônicas degenerativas.

A portaria 140 do Ministério das Cidades define que além dos requisitos básicos exigidos pelo governo, o beneficiado deve obedecer a um dos cinco critérios básicos, sendo dois deles de âmbito nacional e três de âmbito local. Os critérios nacionais incluem famílias residentes em áreas de risco e famílias chefiadas por mulheres.

Famílias com filhos com residência fixa em Manaus há, no mínimo, três anos podem ter direito de financiar um imóvel pelo programa federal (Foto: Divulgação/Suhab)
Famílias com filhos e com residência fixa em Manaus há, no mínimo, três anos podem ter direito de financiar um imóvel pelo programa federal (Foto: Divulgação/Suhab)

Seis mil famílias serão remanejadas de áreas alagadas em Manaus

Processo começou na quinta-feira (31) e moveu vinte e duas famílias.
Mais de 6 mil famílias devem ser remanejadas de onze bairros.

Por Marivaldo Silva / Folhaamazonica.com

 

 
Comente agora
Moradores do bairro da Raiz, na Zona Sul de Manaus, tentam se locomover nas áreas alagadas (Foto: Carlos Eduardo Matos/G1)
Moradores do bairro da Raiz, na Zona Sul de Manaus, tentam se locomover nas áreas alagadas (Foto: Arquivo)

Devido aos riscos de morar em áreas alagadas, os moradores dos bairros Raiz, Betânia e Japiim, no entorno do Igarapé do 40, e na Praça 14 de Janeiro, no Igarapé do Mestre Chico, localizados na Zona Sul de Manaus, estão sendo retirados e encaminhados para casas alugadas.

Já na Zona Oeste da cidade, no Prosamim da Cachoeira Grande, trecho localizado entre a Avenida Kako Caminha até depois da Ponte do São Jorge, serão retiradas cerca de 2.400 famílias cuja casas estão abaixo da cota de inundação.

O processo, que se iniciou na quinta-feira (31) e continuou nesta sexta-feira (1), já transferiu cerca de 22 famílias, de um total de mais de seis mil famílias que moram em áreas alagadas sob influência do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim).

Sairão de bairros que ficam na área do Igarapé do Quarenta (Japiim, Raiz e Betânia), na Bacia dos Educandos, 748 famílias. De bairros da Bacia do São Raimundo (Glória, Presidente Vargas, São Raimundo, Aparecida) irão sair um total de 3.098 famílias. Da área do Igarapé Mestre Chico, entre os bairros Centro e Praça Catorze serão remanejadas 62 famílias.

Para garantir o remanejamento das famílias, o Governo do Estado do Amazonas negociou com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) a antecipação de recursos do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) já aprovados. O objetivo é utilizar o recurso para indenizar famílias na forma de bônus moradia, cheque moradia ou auxílio moradia.

Na modalidade Bônus Moradia, no valor de R$ 50 mil, o morador apresenta o imóvel escolhido para a Superintendência de Habitação do Amazonas (Suhab) avaliar e efetivar a compra. Caso opte pelo cheque moradia, de R$ 35 mil, o próprio morador se responsabiliza em comprar o imóvel a seu critério. Já o Auxilio Moradia, no valor de R$ 6 mil, somente para inquilino ou pessoas que moram em imóvel cedido.